terça-feira, 19 de maio de 2009

CASANDO E DESCASANDO - ONDE ESTÁ O ERRO?

Olá. Como vai? Você foi casado, amaziado, amante..., se divorciou algumas vezes e agora está namorando de novo mas está preocupado(a) com a vida espiritual. E agora?
Se você se encontra nestas condições então vamos pensar juntos.

1º. Todas as mulheres e ou marido te deixaram! Por quê?
2º. No começo dessa história desastrosa você não conhecia as leis de Deus, mas, agora conhece.
3º. Não se justifica o fato de pertencer ou não a uma denominação religiosa, pois o casamento não é algo estranho para os seres racionais já que ele existe desde os tempos adâmicos.
4º. Você e todos nós, desde que nascemos, vivemos a experiência dos nossos pais que são casados; como eles vivem e se relacionam entre si. Afinal de contas nós passamos nossa infância e juventude ao lado de casados; os meninos e meninas crescem juntos e, direta ou indiretamente observamos o desenvolvimento de cada um. Mas como estamos tratando de nós homens, então vamos tratar do instinto homem. Vimos o nosso irmão mais velho, nosso primo e nossos amigos namorar, noivar e casar. E mais, depois de casado ouvimos nossos pais fazerem comentários de como vai indo o casamento destas pessoas, se bem ou mal. Pois então, tudo isso deveria servir como escola para nós. Ou não?
Neste Site coloquei toda a trajetória para um casamento feliz. Copie, leia e coloque em prática tudo que aprender aqui. Deus te abençoe.
Pastor Jônatas Martins Lopes

O DIVÓRCIO E O SEGUNDO CASAMENTO

Pastor Jônatas Martins Lopes

Jesus legalizou ou condenou o segundo casamento?
Permitam-me os amados leitores a omitir minha opinião. Procurei apenas fazer uma exegese dos textos bíblicos que tratam do assunto.

A lei do Antigo Testamento permitia o divórcio (do grego apolyō ou apostasion) que entre outras coisas significam livrar e abrir mão se alguma coisa indecorosa fosse achada numa pessoa, mas não o permitia ao homem que fora obrigado casar-se com uma moça que violentara (Deuteronômio 22: 28-29) “Quando um homem achar uma moça virgem, que não for desposada, e pegar nela, e se deitar com ela, e forem apanhados, então, o homem que se deitou com ela dará ao pai da moça cinqüenta siclos de prata; e, porquanto a humilhou, lhe será por mulher; não a poderá despedir em todos os seus dias”.

Os versos 13-19 deste capítulo dão-nos a entender que no caso do namorado ou do noivo de uma virgem tirar sua virgindade, o casamento tornava-se obrigatório, não podendo este divorciar-se dela (v 19) “E o condenarão em cem siclos de prata, e os darão ao pai da moça, porquanto divulgou má fama sobre uma virgem de Israel. E lhe será por mulher, e em todos os seus dias não a poderá despedir”.

No Novo Testamento as duas palavras apolyō e apostasion têm o mesmo sentido que no Grego Clássico, e aplica-se especialmente ao divorciar uma pessoa (Mateus 1: 19; 5: 31-32; 19: 3,7-9; Marcos 10: 11-12; Lucas 16: 18).

O divórcio era perfeitamente aceito nos tempos do Novo Testamento pelo judaísmo. O marido tinha plena liberdade de despedir sua esposa entregando-lhe carta de separação judicial. Mesmo assim eram muito discutidos os motivos justos para que o homem viesse a divorciar-se de sua mulher, entre as duas escolas rabínicas que permitiam o divórcio somente por causa do adultério ou da incompatibilidade conjugal.

O ensinamento de Jesus em (Marcos 10: 2-12) afirma que o propósito de Deus na criação era que o marido e sua mulher se tornassem uma só carne, e por isso os homens não deviam separar o que Deus ajuntou. Mesmo assim reconhece que Moisés permitiu o divórcio por causa da inflexibilidade do coração do homem. Jesus deixa claro neste texto que o divórcio é incompatível com a vontade de Deus. Na discussão que se seguiu, Jesus explica porque o divórcio é errado, definindo-o em termos de adultério. O homem que se divorcia e casa-se de novo comete adultério. Se aceita comumente que Jesus ao dizer isso estava indo além do conceito judaico do adultério como ofensa contrária ao cônjuge. Jesus declara que a esposa fica no mesmo nível que o marido, pois as relações d’ele com outra mulher era adultério contra ela. O mesmo princípio se aplica em (Marcos 10: 12) a uma mulher que se divorcia do seu marido e se casa de novo. (Lucas 16: 18) levanta o mesmo argumento que (Marcos 10: 11), e ressalta que o homem que se casa com uma divorciada comete adultério contra o ex-marido desta. - (Mateus 19: 9) concorda com (Marcos 10: 11), permitindo, porém, uma exceção, “por causa do adultério”. Muitas vezes tem-se pensado que se tratasse de uma modificação do ditame de Jesus pela Igreja Primitiva, a fim de ajustar o seu ensino ao da Escola Rabínica de Shamai, e assim permitir a um marido casar-se novamente sem a culpa do adultério. Um ponto de vista alternativo é que o adultério em questão é a má conduta de uma noiva antes do casamento. Neste caso a lei judaica permitia que o casamento não fosse concretizado. Antes de José casar com Maria descobriu que ela estava gravida, e conforme esta lei sentiu-se no direito de se separar dela, mas, sua noiva estava isenta de adultério (Mateus 1: 18-20).
O apóstolo Paulo reafirma o ensinamento de Jesus dizendo que somente após a morte do cônjuge, a pessoa tem o direito a um novo casamento: “porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, ela está-lhe ligada pela lei, mas morto o marido, está livre da lei do marido. De sorte que, vivendo o marido será chamada adultera se for doutro marido; mas morto o marido, livre está da lei e assim não será adultera se for doutro marido” (Romanos 7: 2-3) e, repete os mesmos ensinamentos em (I Coríntios 7: 10-11) “Todavia aos casados, mando não eu, mas o Senhor, que a mulher não se aparte do seu marido, Se, porém, se apartar, que fique sem casar ou reconcilie com o marido, e que o marido não deixe a mulher.”, (compare Marcos 10: 8-9).

Não se pode também se esquecer à questão do perdão, parte fundamental na vivência a dois, e que Jesus procurou deixar muito claro, tanto na oração do Pai Nosso (Mateus 6: 12) como em outras oportunidades. No (v 15) do texto em questão Ele disse: “Se, porém, não perdoares aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas”. Em (Mateus 18: 23-35) Jesus conta a parábola do credor incompassivo, nos ensinando que uma pessoa pode ficar sem o perdão divino por ter um coração cheio de amargura, que não perdoa o próximo. Em (Marcos 11: 25-26) Ele disse que se eu não perdoar, não serei perdoado por Deus. Em Hebreus 12: 14-15, diz: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, Tendo o cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem” (compare Lucas 17:3-5).

Quanto a Atos 17: 30, normalmente citado como argumento “aos tempos da ignorância”, nada tem a ver com o divórcio, ou ainda, com o segundo casamento. É só voltarmos ao v 16 e ss e vamos encontrar o Apóstolo Paulo preocupado única e exclusivamente com a idolatria dos habitantes daquela cidade. O perdão de Deus aqui está condicionado ao ARREPENDIMENTO. “Mas Deus não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens e em todo o lugar, que se ARREPENDAM”. O texto não diz que Deus passou por cima daquilo que Ele mesmo estabeleceu, mas, “que se arrependam”.

CONCLUSÃO.

Finalizando, vamos analisar Tiago capítulo três, verso quatorze que comenta sobre o “sentimento faccioso”, Esta palavra fala de sedição, ou de quem sendo ligado a outrem por estatuto ou por lei, vive divergentemente. Parece ser uma semente de ódio e amargura colocada por Satanás no coração humano difícil de ser resolvido. Exigindo da pessoa acometida por este espírito do mal, muita oração, jejum e uma entrega incondicional a Jesus. Só assim questões como as que acabam de ser analisadas, terá o fim proposto por Deus.

Espero não polemitizar o assunto, mas, colaborar para melhor conhecermos a vontade soberana de Deus no casamento, a estabilidade da família, na educação dos filhos e a felicidade do cônjuge, e, assim possamos chegar a uma solução armoniosa e aprovada por Deus. Amem.


Direitos reservados ao autor

SEGUNDO CASAMENTO

Posso me casar de novo?

1. O que a Bíblia diz sobre o segundo casamento?

Resposta.
Só os viúvos e viúvas podem se casar novamente. “Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, ela está-lhe ligada pela lei, mas morto o marido, está livre da lei do marido. De sorte que, vivendo o marido será chamada adultera se for doutro marido; mas morto o marido, livre está da lei e assim não será adultera se for doutro marido” (Romanos 7: 2-3); (I Coríntios 7: 10-11) “Todavia aos casados, mando não eu, mas o Senhor, que a mulher não se aparte do seu marido, se, porém, se apartar, que fique sem casar ou reconcilie com o marido, e que o marido não deixe a mulher.”, (compare Marcos 10: 8-9).
Também vos digo que, se dois de vós concordardes na terra acerca de qualquer coisa que pedirem isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus (Mateus 19: 19)

A COMPROVAÇÃO DE DEUS


PERDÃO

Em se tratando de uma separação, é bom lembrar, que, para o casal se separar a sempre um motivo considerado insolúvel para ambas as partes.

1. Pequenos desentendimentos.

· Como usar e guardar o tubo do creme dental;
· Como cada um deixa o banheiro após o banho;
· Cuidados da casa;
· Cuidado com as louças após as refeições;
· Cuidados pessoais nas questões de como cada um se vestem;
· A falta de cuidados com o corpo – Excesso de peso tanto do homem como da mulher;
· Esposa que fala de mais;
· Marido que fala de menos;
· Marido ou mulher exigente; cobra tudo a toda hora;
· Marido que não para em casa;
· Ausência de carinho;
· Rejeição continuada à prática de sexo;
· Comida mal feita;
· Esperdício de alimentos;
· Gastos excessivos com roupas, incompatível com a renda familiar;
· Gastos excessivos com produtos desnecessários ou adiáveis;
· Falta de transparência quanto à renda do casal – O marido esconde da mulher quanto ganha – A mulher mente ao marido o valor real do seu salário;
· Esposa que nunca está em casa quando o marido chega;
· E muitas outras picuinhas.

2. Incompatibilidade de gênio

Duas pessoas de personalidades fortes e opostos não se combinam, (Amós 3: 3) “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?”

3. Incompatibilidade de fé

(2 Aos Coríntios 6: 14) “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?”
Diante de Deus há duas categorias de pessoas, os justos e ímpios, ou seja, os que estão com Cristo e os que não estão. (Salmos 1: 6) “Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá”.

O crente não deve ter associação ou amizade íntima com os incrédulos, pois um relacionamento assim tende a corromper a fé e a comunhão com Deus e com a igreja. Neste contesto pode-se incluir as sociedades em negócios, as ordens secretas (Maçonaria), namoro e casamento.

4. Traição ou infidelidade conjugal

Pergunta.
a) Por que fui traído?
b) Por que traí?
Em qualquer tipo de erro que venhamos a cair, há sempre um agente causador.
No caso da traição ou da infidelidade entre o casal podemos mencionar com precisão os que são comuns entre o casal e que normalmente não são levados a serio.
Há um ditado popular interessante: Quando o boi pula a cerca para pastar no pasto do vizinho é sinal de que lhe falta comida em seu pasto. Engraçado e repetitivo: Pasto... Pasto... Pasto! Mas é uma realidade; se o marido ou a mulher corresponderem aos desejos sexuais do seu cônjuge o risco de traição fica próximo de zero.

Matando a fome em casa não terei apetite em comer a comida do vizinho!
Se me satisfiz sexualmente em casa, por mais bonita, sex, ou atraente que seja a pessoa que por ventura me provoque, e, ainda que meu instinto me impulsionar ao ato de sedução não me renderei com facilidade porque a minha consciência me avisará de que tenho alguém à altura das realizações necessárias e prazerosa a que meu corpo precisa para sobreviver tranqüilo e feliz.
Mas se por falta de experiência, de instrução ou até mesmo por falta de testemunho dos nossos pais, caímos ou cometemos todos estes erros é necessário que se encontre uma solução.
E tem? Sim! No meu ponto de vista tem.
Eu não tenho solução; nenhum pastor a tem, mas a Bíblia tem.
Em I João, capítulo 1, verso 7 registra que “Se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu filho, nos purifica de todo pecado”.

Vamos analisar juntos.

“se andarmos na luz”.

O pronome “Se” subentende que antes eu não andava na luz;
O verbo “temos” é presente do indicativo, e, nos leva a um passado recente mostrando que uma comunhão foi perdida mas que pode ou deve ser recuperado;
O verbo “purifica” é imperativo, e “purificar” é futuro do conjuntivo, indicando que algo está sujo, mas que “pode ser limpo” dês de que optemos por “andar na luz” e assim em condições de perdoar os nossos ofensores.
Lembre-se de que estamos tratando de casamento – desentendimento - separação-divórcio, e novo casamento.

O perdão é parte fundamental na construção de uma vida feliz e satisfatória entre marido e mulher.
Jesus deixou isso muito claro tanto na oração do Pai Nosso (Mateus 6: 12) como em outras oportunidades. No verso quinze do texto em questão Ele disse: “Se, porém, não perdoares aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas”.
Em Mateus 18: 23 a 35, Jesus conta a parábola do credor que não tinha compaixão, nos ensinando que uma pessoa pode ficar sem o perdão divino por ter o coração cheio de amargura e que não perdoa o próximo. Em Marcos 11: 25 e 26, Ele disse que se eu não perdoar, também não serei perdoado por Deus. Em Hebreus 12: 14 e 15 diz: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, tendo o cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem”. (Compare Lucas 17: 3 a 5).

COMO RESOLVER O PROBLEMA DO SEGUNDO CASAMENTO.


No caso do Presbiterianismo que adota o sistema administrativo composto por Presbíteros, tendo como Presidente um Pastor, tomando conhecimento da questão em pauta e com base em Mateus 18: 15 a 22, principalmente o verso 19 que diz: “Também vos digo que, se dois de vós concordardes na terra acerca de qualquer coisa que pedirem isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus”, e verso 20: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles”.
Na tradução Nova Versão Internacional ficou assim: “Também lhes digo que se dois de vocês concordarem na terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem isso lhes será feito por meu Pai que está nos céus. Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles”. (Versos 19 e 20).
Ainda no mesmo capítulo, Mateus 18: 18 registra a autoridade de Jesus conferida ao Conselho responsável em resolver as questões que viriam a surgir ao longo da existência da Igreja na terra e depois que a Bíblia já tivesse sido encerrada: “Digo-lhes a verdade: Tudo o que vocês ligarem na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra terá sido desligado no céu”. (NVI).
Este conselho, ou o nome que se dá em cada Denominação, funciona como um tribunal. Só que com a prerrogativa de resolver questões humanas que envolvem também o lado espiritual das pessoas que primam pela salvação em Cristo Jesus.

QUESTÕES A SEREM ANALISADAS PELO CONSELHO


a) Ouvir as partes envolvidas em separado para que cada um apresente sua justificativa que motivou o divórcio;
b) Há quanto tempo estão separados;
c) Como está vivendo cada um dos cônjuges;
d) Se ambos já estão vivendo maritalmente com outra pessoa;
e) Como e com quem estão vivendo os filhos da antiga união;
f) Inquirir do ex-marido como está a situação financeira da ex-esposa, se está sozinha, como está morando, se tem algum tipo de renda e, se ele está cumprindo com as obrigações impostas pela lei – Pensão, roupas, saúde e outras obrigações.
Se as respostas de ambos preencherem os requisitos básicos ao ponto de convencer aos membros da Comissão, estes orarão ao Pai, pedindo que perdoe o passado e que os abençoe na nova caminhada.

CONCLUSÃO

A nova união só terá sucesso se cumprir todas esta etapas, e com a bênção do Conselho formado por homens de larga experiência de vida conjugal e profundo conhecimento das leis de Deus.
Pastores, Presbíteros, Diáconos, Anciãos, Bispos, Cooperadores e Padres solteiros, divorciados, separados e casados pela segunda vez não tem autoridade de Deus para oferecer solução nas questões conjugais.
Que os membros deste conselho tenham no mínimo vinte anos de vida conjugal e que tenham um relacionamento familiar transparente e pautado nos padrões divinos.
Oferecemos material de excelente qualidade, escrito e preparado por mim ao longo de minha vida conjugal e de fé em Cristo.

Jônatas Martins Lopes, 62 anos
Pastor Evangélico
Casado há 39 anos, 3 filhos, 5 netos
Escritor, Gráfico e Técnico em Computador.

Material disponível:
A Bíblia e a Igreja (Livreto)
A Família e o Processo Educacional dos Filhos (Livreto)
Amor Real (Livreto)
Divórcio X Segundo casamento (Artigo)
Entre a Morte e o Estado Intermediário da Alma (Livreto)
Fé (Livreto)
Namorar e Ficar (Livreto)
O Homem (Livreto)
O Ladrão, as Ovelhas e o Pastor (Livreto)
O Pai e seus deveres Constituídos (Livreto)
O Pregador (Livreto)
O Valor do Ídolo (Livreto)
Segundo Casamento (Artigo)
Tempo Final
Traços que fazem a diferença (Livro). Publicado
União Conjugal e sua Trajetória (Livreto)

prjonatas@hotmail.com
http://portaldoerudito.webnode.pt
http://crerparamudar.zip.bet

NAMORAR E FICAR

Pesquisas revelam que 1 bilhão e 300 milhões de adolescentes e jovens usam a expressão FICAR.
Esse número corresponde aproximadamente à população dessa faixa etária no Planeta.
O homem é um ser social.
O ser humano foi criado para viver em sociedade: primeiro, com o seu Criador, e, depois com o seu semelhante.

Na verdade, esse é o plano divino para nossas vidas. Foi o próprio Senhor Deus quem declarou: "Não é bom que o homem esteja só...” (Gn. 2: 18). Lemos, ainda, na Sua Palavra que "Melhor é serem dois do que um" (Ec. 4:9).

Portanto, a solidão se opõe ao plano divino, e, por isso resulta em feridas na alma, tais como:

1. Sentimento de desconforto;
2. Sentimento de inutilidade;
3. Auto - estima baixa;
4. Depressão;
5. Ausência de laços afetivos;
6. Desanimo;
7. Dores.

Para vencer a solidão, precisamos de:

1. Amizade;
2. Simpatia;
3. Empatia, [sentir o que o outro sete];
4. Companheirismo;
5. Namoro;
6. Casamento;
7. Sexo.

Sentimos necessidade de amizade verdadeira de alguém que chegue quando todos saem, isto é, alguém que permaneça ao nosso lado quando mais ninguém está. Mas, por outro lado, a solidão não pode levar a pessoa a aceitar qualquer tipo de relacionamento. Quantas vezes já ouvimos falar: "Ruim com ele (ela), pior sem ele ou sem (ela)".

O que é Namoro

Hoje, para a maioria das pessoas, o namoro é apenas um passatempo, nada sério. Entretanto, é impossível haver um relacionamento entre pessoas de sexo diferente, sem que haja consequências.

O namoro é um tipo de amizade verdadeira. T. J. Dakes escreveu em seu livro: A Dama, seu amado e Seu Senhor: “Quando escolher um companheiro procure um homem que tenha com você um relacionamento comparável ao de um irmão. Procure aquele com quem possa comunicar-se sem palavras. É ele que sabe quem você é”.
É claro que essa recomendação aplica-se também ao rapaz ao escolher sua companheira. O namorado, ou namorada encaixa-se perfeitamente na definição de amigo, de Jerry White "Um amigo é um confidente inteiramente confiável, a quem me sinto atraído, companheiro e aliado”.

O namoro é um caminhar de comprometimento entre duas pessoas.

Ficar

A palavra namoro está sendo extinta. Entre a maioria dos jovens e adolescentes o negocio é ficar.

Mas qual é a diferença entre namorar e ficar?

Já vimos que o namoro é um momento saudável e importante na vida dos jovens.

Ficar, segundo o que os jovens definem, é “passar um tempo com alguém, sem qualquer compromisso. Podendo incluir intimidades, tais como: beijos, abraços ou até relação sexual”.

Portanto, o ficar nada tem a ver com o namorar. Infelizmente, quando um rapaz fala sobre namoro, no sentido literal da palavra, torna-se, muitas vezes, alvo de piada e gozação entre os colegas. Isso é o resultado da distorção dos valores morais e éticos que vem sendo feita, principalmente pelos meios de comunicação.

Nossos jovens sofrem a influência da mídia que apregoa a sensualidade e a liberação dos impulsos sem censuras como forma de atuação de prazer e satisfação.

Comportamentos assim levam os jovens à promiscuidade sexual, e suas conseqüências.
Na década de 60 na Europa, e 70 no Brasil, começou uma revolução sexual enfatizando que homens e mulheres teem direitos iguais.

O que importa é a satisfação pessoal; a sensação do momento, sem a necessidade de qualquer atitude de amor ou sentimentos entre os parceiros. Com isso, o namoro foi sendo abandonado e o ficar tomando proporção.

Os jovens são pressionados a abandonar hábitos conservadores e a adotar as práticas pecaminosas ditadas pela cultura social moderna.

As desvantagens no ficar especialmente para a mulher são inúmeras e quase irreparáveis.

Entre elas, podemos mencionar os boatos que surgem, além do risco de uma gravidez indesejada, e muitas outras sequelas.

É importante que a mulher, se lembre de que não é um objeto descartável: usado e jogado fora após satisfazer os desejos sexuais do seu algoz.

Por isso, os jovens - homens e mulheres - principalmente os que querem levar a vida com Deus a sério, precisam observar, cuidadosamente, o que Ele diz em Sua Palavra, antes de envolver-se com alguém.

Com quem namorar

A primeira recomendação está na carta II aos Coríntios 6: 14: "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis. Pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?”.

O propósito principal do namoro não é apenas a satisfação dos prazeres carnais, mas a busca da pessoa que vai dividir com você, após o casamento:
- A sua casa;
- O seu guarda roupas;
- A sua cama;
- As suas alegrias;
- As suas tristezas;
- Os seus sentimentos;
- O seu dinheiro;
- O seu carro
- Seu prazer sexual;
- O seu sucesso;
- O seu fracasso;
- A sua mocidade, e,
- A sua velhice.

Por isso mesmo, é tão importante à razão por que não se deve namorar qualquer pessoa. Na minha opinião e na minha experiência é preciso haver cumplicidade desde os primeiros dias de namoro.

Alguém já disse que o(a) namorado(a) é um marido (esposa) em potencial. “A razão por que a Bíblia não recomenda o casamento com incrédulos é simples: Deus quer que a base do amor seja o fato de compartilharem a mesma fé”.

Por isso seria bom que marido e mulher tenham a mesma fé e a mesma filosofia de vida.
Se você é comprometido (a) seriamente com Deus, é conveniente escolher um (a) cristão (cristã) como você, porque ambos têm os mesmos valores éticos e morais.

Mas isso não é tudo. Se você encontrar uma pessoa com a mesma fé que a sua encontrou a pessoa certa? Não. Nem sempre é assim.

Além desse primeiro requisito, é preciso que seu cônjuge satisfaça sua mente seu corpo e sua alma. Os sonhos, ideais e expectativas se divergem de um individuo para outro e por isso dentro de um namoro serio precisam ser negociados.

Mesmo em meio a tanta gente interessante, você deve observar quais as características importantes que mais se destaca na pessoa que você pretende namorar.

Vou mencionar alguns pontos que podem ajudar nessa escolha. A pessoa que você escolheu para namorar, com a pretensão de um futuro casamento, deve:

- Agradá-la (o) fisicamente;
- Ser bondoso (a);
- Paciente;
- Educado (a);
- Amigo (a);
- Companheiro (a);
- Cúmplice
- Compreender seus defeitos;
- Ter bom senso;
- Demonstrar responsabilidade em tudo que faz;
- Saber lidar com dinheiro;
- Inteligente;
- Empreendedor.

Não deve ser:

- Pão duro (a);
- Mão aberta;
- Consumista.

Deve ser:

- Asseado (a);
- De boas maneiras.

Talvez você esteja pensando: mas é impossível encontrar alguém com todas estas qualidades! É verdade. Mas verifique o que considerar mais importante. Lembre-se de que é com essa pessoa que você pretende viver o resto de sua vida!

Transar.

Este tema tem sido muito debatido entre educadores e representantes da saúde.

Parece que agora, é muito careta quem não transa. Por isso, a pessoa que quer ser séria no seu relacionamento, acaba passando por situações desagradáveis. Acaba virando objeto de gozação, de ironias, de dúvida por parte dos colegas.
Além disso, as jovens ficam com medo de perder para a colega o gato lindo que encontrou e cedem às pressões feitas pelo sagaz enganador!

Na verdade, ele não está nem um pouco preocupado com você, com a sua reputação nem com as conseqüências que virão depois. Ele só quer transar! Por isso a resposta deveria ser não.
Muitos jovens acabam cedendo às pressões da mídia, dos colegas, dos amigos e começam a achar que se todo mundo faz então não deve ser pecado.

A Palavra de Deus condena o transar, pois afirma que a relação sexual é um privilégio do casamento.
Na ótica bíblica transar é a terceira etapa entre o namoro o noivado e o casamento, e não a primeira. Em Gn. 2: 24 lemos: “Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”.

Desde Adão e Eva, Deus ordenou que houvesse uma formalização do compromisso matrimonial.

O primeiro passo é deixar pai e mãe, com a bênção destes que são autoridades sobre nós enquanto solteiros. Além destas autoridades, devemos obediência às leis de Deus.

O segundo passo é se unir à sua mulher. A referência é com a mulher que você vai se casar, e não com quem você está ficando.

E só no terceiro é que os dois se torna uma só carne. Só após as duas primeiras terem sido cumpridas, é que vem a hora da relação sexual.

Esta idéia existe tanto no Antigo como no Novo Testamento, pois este versículo é citado por Jesus em Mateus. 19:5 e por Paulo em I Coríntios. 6: 16.

Deus não estimula a transa. Muito pelo contrário. Várias passagens bíblicas condenam o relacionamento sexual fora do casamento conforme: [Atos. 15: 29; Atos 21: 25; I Coríntios 6: 13-18; II Coríntios 12: 21; I Tessalonicenses 4: 3- 5].

Em Hebreus 13: 4 Deus valoriza o casamento. Vejamos: “Digno de honra entre todos, seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros”.

Deus também aprova a relação sexual dentro do casamento. Para o povo judeu, a relação sem pecado era aquela em que as pessoas entravam virgens para o casamento [Deuteronômio 22: 13-21].

Quando somos amados pelo que somos, e não pelo nosso físico, tornamo-nos mais saudáveis mentalmente e nos expressamos mais livremente e não precisamos nos preocupar em como vamos agradar o nosso cônjuge.

Lembre-se do que diz a Bíblia em Eclesiastes 12:1 “Não deixe o entusiasmo da mocidade fazer com que você esqueça seu Criador. Honre a Deus enquanto você é jovem, antes que os dias maus cheguem, quando você não vai mais ter alegria de viver.”

Oração

Depois destas considerações, leve o assunto a Deus em oração.

Espere pelo Senhor (Salmo 27: 14). Ele sempre sabe o que é melhor para você. Nunca tome uma decisão, nunca inicie um envolvimento sem ter certeza de que Deus está abençoando esse relacionamento, de que é aprovado por seus pais e de que haja cumplicidade nesse amor.

O resultado do namoro é o casamento

A finalidade, e o objetivo do namoro é o casamento; mas o casamento não é o fim do namoro. Na verdade, o namoro deve continuar pelo resto da vida a dois. O namoro continua sendo muito importante dentro do casamento.

Quando o namoro acaba no casamento, aumentam as chances dessa união acabar.

Um conselheiro familiar criou a frase: Banco do Amor. Todos nós temos contas no Banco do Amor. São várias, uma para cada pessoa com quem nos relacionamos:

Do marido e esposa;
Dos pais e filhos;
Dos irmãos e irmãs.

As pessoas fazem depósitos ou retiradas, dependendo do tipo de relacionamento que possuam.

O bom relacionamento resulta em depósitos.
O mau relacionamento resulta em retiradas.

Infelizmente, há muitos casais em que o relacionamento se desgastou, e suas contas se encontram no vermelho.

O amor é como uma planta. Para que ela cresça bonita e saudável, precisa de água, sol, sombra, fertilizantes etc. Todo relacionamento humano precisa de constantes depósitos.

Quando foi a última vez que você depositou em sua conta do amor?

É interessante que, durante o período de namoro, muitas são as juras de amor eterno, os presentes, os programas, os perfumes, as gentilezas etc.

Entretanto, aqueles que consideram que o fim do namoro é o casamento, abandonam todas ou quase todas essas práticas e passam a agir totalmente contrária!

Essa é uma das razões pela qual o casamento acaba.

É preciso fazer depósitos constantes no Banco do Amor.

É preciso continuar:
- Perdoando;
- Amando;
- Protegendo e valorizando o cônjuge.

Muitos maridos, com o passar dos anos passam a agir e a tratar a esposa com indiferença, sem demonstrar o mínimo de interesse por ela. Isso a magoa e a machuca por dentro, pois ela percebe a frieza com que está sendo tratada.

Por outro lado, as mulheres também, muitas vezes, perdem todo o encanto, pois já não se arrumam como se arrumavam, já não usam aquele perfume que o namorado tanto gostava. Esquecem-se de que o seu corpo é "o templo do Espírito Santo" e deixam de cuidar dele, tornam-se relaxadas em tudo.

Tanto o marido quanto a mulher precisa estar atentos para que o namoro tenha sua continuação no casamento. "É preciso avaliar e pensar criativamente em como regar a planta. Em como receber e depositar no Banco do Amor.”

As esposas continuam gostando de ganhar um presente, de receber flores, de sair para jantar, de ouvir elogios sobre sua aparência exatamente como quando eram namoradas. O esposo, por sua vez, continua gostando de ver sua esposa namorada com os cabelos penteados, limpas, cheirosas, corpo atraente, e comer algo feito especialmente para ele, de ouvir palavras de amor. "Lembre-se de que a frase Eu amo você!” Dita com sinceridade e freqüentemente, afofa o terreno do relacionamento e predispõe o aprofundamento de raízes. Não deixe suas contas no vermelho... Você vai se sentir muito melhor tendo saldos positivos.

“No casamento, o homem e a mulher são parceiros, amantes, amigos. É um laço tão poderoso, tão especial que seu propósito é durar para sempre”.

Virgindade

A aliança é uma das coisas mais importantes no relacionamento entre duas pessoas do sexo oposto.

E quando falamos em aliança, não nos referimos ao anel que é colocado no dedo do moço e da moça na hora do casamento.

O anel é um símbolo desse pacto, mas a aliança é o compromisso de que vou amar essa pessoa pela vida inteira. Nada, além da morte, pode quebrar esse tratado. Ela não deve ser desfeita. E a sua origem está na aliança que Deus fez e continua mantendo com o seu povo. (Hebreus 13:5). Ela é inquebrável. Mas com os divórcios e separações, a aliança tornou-se vulnerável, tornando-se um mero contrato.

É nessa aliança, ou seja, na virgindade que está uma das coisas mais bonitas na unidade entre uma moça e um rapaz. Se você está por dentro das histórias da Bíblia, sempre que alguém fazia uma aliança com Deus, havia um derramamento de sangue, um animal era morto. Era o símbolo da aliança com Senhor.

Na aliança que Deus estabeleceu conosco no Novo Testamento, o sacrifício e o derramamento de sangue foram por Jesus, o que nos deu a certeza de que Deus nunca nos deixará, porque Ele deu seu único Filho para morrer por nós. Pensando nisso, você já imaginou o porquê da virgindade ser tão importante? Quando o rapaz e a moça se guardam sexualmente até a noite de núpcias e têm sua primeira relação sexual, eles estão selando a aliança entre si e com Deus e a aliança que fizeram um com o outro, não com sacrifício, mas com prazer, já que Jesus veio sacrificar-se em nosso lugar.
Por isso, quando a Palavra nos adverte a nos guardarmos sexualmente puros, ao contrário do que muita gente pensa, Deus não está querendo nos privar de algo que ele mesmo fez para nós, e sim, nos garantir o prazer de uma benção que servirá como nutriente ao casamento até que a morte o interrompa.

A virgindade deve ser considerada uma das coisas mais importantes em sua vida. Uma vez que você a perde, ela já mais será restituída. Se você perdê-la na hora errada, mesmo que depois receba o perdão de Deus, ainda assim ela não será trazida de volta. A virgindade é o nosso maior capital e deve ser guardada e protegida para ser rompida na hora certa.

Hoje, a coisa mais comum num namoro ou até mesmo em um encontro rápido é transar e, por isso, manter-se puro sexualmente é muito difícil. Mas ser homem ou mulher de verdade não depende desse momento momentâneo do prazer sexual, mas, está inteiramente ligado à nossa determinação de dizer não.

Uma palavra aos rapazes. Vocês sabiam que foram criados para serem os protetores e defensores da pureza? Mas infelizmente, muitos homens e rapazes são considerados violentadores. Muitos namorados forçam a namorada a perder a virgindade, e nem sempre com violência física, mas com violência moral. Essa não foi a função designada por Deus para o homem. Na criação, a função do homem é proteger a mulher. Paulo recomendou a Timóteo que tratasse as moças com toda pureza, como irmãs (I Timóteo 5:2). E é assim que devemos agir.

Não se deixe levar pelas mentiras sobre o amor e sexo, de que se você ama transa e se não transa, é fraco ou está pondo em dúvida sua masculinidade. Creia que dizer não aos seus desejos é uma forma de já demonstrar amor para seu futuro marido ou futura esposa, com quem você irá selar uma aliança estabelecida por Deus.

"O verdadeiro amor é paciente, é benigno, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses; o verdadeiro amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta" (I Coríntios 13:4-7).


(T. D. Jakes, em “A dama, seu amado e seu Senhor”. Sergio e Magali Leoto, em Transar ou não transar? Jaime Kemp, em Revista Débora. Nº. 09, Publicado na Revista Simplesmente Você, Julho/2001. Trabalho de OCR feito por Almir Lima). (Parte adaptado e reproduzido com autorização do MMI-Brasil).

Pastor Jônatas Martins Lopes.


UNIÃO CONJUGAL E SUA TRAJETÓRIA

Gênesis 1: 26-28

Deus fez macho e fêmea como parte da criação

 
INTRODUÇÃO
No propósito de Deus é que cada homem encontre uma companheira.

Esse fato é confirmado até nas estatísticas. Nasce no mundo, aproximadamente, o mesmo número de homens e de mulheres.

Após uma guerra, onde muitos homens são mortos, algo reparador acontece; na geração seguinte nascem mais bebês machos do que fêmeas. Isso aconteceu na Europa, logo após a guerra; em apenas uma geração o equilíbrio foi restaurado.

Ter consideração pelo cônjuge é reconhecer nele mais que um ser - é ver nele alguém colocado por Deus numa posição sagrada.

Temos consideração por alguém que ocupa um alto cargo público, porque respeitamos seu cargo. Quanto mais então deveríamos respeitar a pessoa colocada ao nosso lado no casamento, pois ser apontado por Deus como marido ou mulher é ser elevado a uma posição da mais alta confiança em seu reino.

Ao considerar a estrutura do casamento, a natureza do amor romântico também precisa ser reexaminada.

O amor é algo que soberanamente existe, tem-se ou não se tem amor. Se um jovem casal, desiludidos, descobre que não se amam, conclui-se então que o casamento não foi composto com seu alimentador indispensável à sua existência.

O amor é um ingrediente essencial no casamento, mas, o casamento não depende exclusivamente do amor para sua sobrevivência. Pelo contrario, é do casamento que depende a continuação do amor.
O casamento dá ao amor as condições de permanência e estabilidade de que necessita para crescer e amadurecer.

O casamento liberta o amor da opressão do sentimento. Força a pessoa a passar por dificuldades e vencê-las para prosseguir em direção a novas dimensões de amor e entendimento. Isso porque não vivemos ao lado de alguém por sentimento, por obrigação, por dó, por preção dos nossos pais ou da sociedade, mas, porque nos amamos, porque nos atraímos, porque nos desejamos, porque nos motiva a ser feliz. Quando contraímos matrimônio, Deus ordena que nos amemos uns aos outros.

O amor do ponto de vista de Deus, não é o alicerce principal do casamento, mas o resultado de um casamento bem sucedido. Nós só ajudamos a cultivá-lo e desenvolvê-lo quando nos propositamos alcançar esse objetivo.

O marido que protege a esposa contra a falta de respeito por parte dos filhos instila neles o senso de respeito para com todas as mulheres. Isto somado ao seu exemplo pessoal de cortesia e consideração para com a esposa é parte do patrimônio que todo pai deve deixar aos filhos.

C A S A M E T O

O verbo casar é Futuro do Conjuntivo que no grego é gameo e significa ligar, unir.

A palavra gameo se deriva da raiz Gam ou gem, que quer dizer: encaixar um ao outro, formar um par, tornar-se igual, idêntico – (como um par de sapatos).

A raiz, possivelmente se relacione com a palavra gennao que quer dizer: gerar, ou, dar à luz.

O substantivo gamos significa bodas, que é a consumação do casamento.

1. CERIMONIAL

A lei do Antigo Testamento não continha qualquer forma predeterminada para uma cerimônia de casamento. Apesar disso, o casamento tem, de fato, grande importância, tanto na história da povoação da terra, como naquela dos patriarcas.

A história dos povos antigos se narra como história de família.

Nas genealogias de Gênesis capítulo 5, casar e a gerar filhos são os aspectos mais importantes das vidas que se mencionam. Embora haja de Abraão em diante até a época dos reis, evidências de poligamia (mais de uma mulher), conforme (Gn 16: 1 e ss.; 25:6; 29: 21-30; I Sm 18: 27; 25: 42,43; II Sm 3: 2-5), a monogamia (uma mulher) ocupa a posição central nas narrativas da história bíblica.

Desde o princípio, Deus estabeleceu o casamento e a família que dele surge como a primeira e mais importante instituição humana na terra, (ler) (Gn 1: 26-28).

A prescrição divina para o casamento é um homem e uma mulher, os quais se tornam uma só carne, isto é, unidos em corpo e alma.

Esse ensino exclui qualquer possibilidade de direito do adultério, da poligamia, ou da homossexualidade (Mc 10:7-9).

v - A Bíblia afirma que o homem cometeria o homossexualismo e que muitas mulheres se tornariam lésbicas [Romanos 1: 26,27].

v - Esse comportamento traria briga entre o casal e o não cumprimento dos votos assumidos ao assinarem a Certidão de casamento [Romanos 1: 30 e 31]

v - Vamos ver a normatização das relações intimas que estão descritas em Levítico capítulo 20 e versos 10 a 23.

A lei para os reis dos tempos bíblicos exigia que: “Tão pouco para si multiplique mulheres, para que o seu coração se não desvie” da moral e da ética (Dt 17: 17 comparar I Rs 11:4).

Os textos de: (Gn 1: 27; 2: 24; Mc 10: 6,7; Mt 19: 5; e Ef 5: 31) são mandamentos de Deus que demonstram sempre à vida compartilhada entre um homem e uma mulher.

CASAMENTO CIVIL NO BRASIL

Em  14 de janeiro de 1890 aconteceu em Uberlândia, Minas Gerais  o casamento de  José Teixeira  de Sant’Anna (o Zeca Teixeira)  e  Francisca Augusta Teixeira (a Dona Chiquinha) realizado no salão da Câmara Municipal pelo  Juiz  de Paz  substituo, José  da Silva Diniz  e  registrado em  Cartório pelo escrivão, Modesto Mendes  dos Santos, no livro nº 01, folhas 36v, sob o nº 76. Este foi  o primeiro  casamento  civil  da historia  do Brasil, resultado de uma  decisão judicial. Dez  dias  depois, quando o casal    estava  em lua  de mel, o presidente  da Republica, Marechal Deodoro da Fonseca assinou  o decreto nº 181 de 24 de janeiro de 1890, instituindo o casamento civil e marcando o  dia 24 de maio  de 1890 para o inicio da  sua  execução. Mas  o casamento do senhor Zeca foi baseado num decreto da Princesa  Isabel assinado em 07/03/1888, e que  até  então ninguém havia  recorrido dele. (Informação  retirada  do Livro “Historia  de Uberlândia  volume II ”  de Antonio Pereira  da Silva  pelo Pastor Carlos  Augusto)

2. DEUS IMPLANTOU NO HOMEM DESEJOS E AFETOS GENÉTICOS QUE SÃO PASSADOS DE GERAÇÃO PARA GERAÇÃO (GN 3: 16 c).

Deus fez do casamento uma influência nobilitante, que poderosamente contribuiu para o desenvolvimento de uma existência completa no homem e na mulher “não é bom que o homem viva só” (Gn 2: 18).

Abster-se do casamento somente é recomendado em casos especiais como o que está registrado em (Mateus 19: 11-12 R.A.) “nem todos são aptos para receber este conceito, mas apenas aquele a quem é dado. Porque há eunuco de nascença; há outros a quem os homens fizeram tais; e há outros que a si mesmos se fizeram eunucos; por causa do reino dos céus”.

[Novo Testamento na Linguagem de Hoje] “Pois há razões diferentes que tornam alguns homens incapazes para o casamento: uns, porque nasceram assim; outros, porque foram castrados; e outros ainda não casam por causa do Reino do Céu”.

A palavra eunuco se refere ao homem que cuida do quarto onde dorme marido e mulher. (Empregado doméstico)

Aos camareiros reais era dado o nome de eunuco. No oriente, os indivíduos incapazes para as funções sexuais eram empregados no ofício de guarda das suítes matrimonias.

Não é muito certo que este nome tenha o mesmo significado em todas as passagens da Escritura, houve, por exemplo, Potifar que era o eunuco e cuidava da casa de Faraó e era casado (Gn 39: 1,7).

A proibição ao casamento não deve ser imposta pela religião (I Tm 4: 2,3).

3. UM CASAMENTO BEM ALIMENTADO EVITA O PECADO DA COBIÇA (Êx 20: 17).

Em I Coríntios 7:7-9 o apóstolo Paulo fala sobre isso. “Mas se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se” (v 9).

A palavra abrasar aqui está no sentido de excitar ou entusiasmar-se, isto é, ao botar os olhos em alguém do sexo oposto, procurar no pensamento uma relação sexual realizável. Este é o pecado da cobiça de (Êx 20: 17).

4. PONTO DE VISTA CRISTÃO

O casamento é mandamento bíblico, e é bênção na vida do homem (Pv 18: 22; I Tm 3: 2,12).
Do ponto de vista cristão, o casamento é uma instituição natural e estabelecida por Deus logo após a criação do homem. Une duas pessoas de sexo diferentes para viver junta uma à outra até que a morte os separe.

Mesmo fora do meio cristão, considera-se que o casamento é bom para a saúde física, mental e sexual - tanto do homem como da mulher.

Pessoas casadas têm câncer e problemas cardíacos mais raramente e vivem mais que as pessoas solteiras, de acordo com a revista alemã Neus Leben, que se baseou em dados científicos.

Também entre os casados, o número de suicídios é menor. Ainda segundo a pesquisa, o casamento é um dos fatores que mais contribui para a felicidade pessoal.
A própria Palavra de Deus valoriza tanto o casamento que traz em seu contexto um livro [Cantares de Salomão] que descreve o amor intenso entre um homem e uma donzela. Os dois trocam entre si juras de amor e elogios de beleza física e sensual.

Peça: AMOR NÃO CORRESPONDIDO. Escrito por pastor Jônatas Martins Lopes. Pedido: prjonatas@hotmail.com [44] 9950-5691.

No primeiro livro da Bíblia é narrada a história das três famílias dos tempos dos patriarcas [1.900 - 1.600 a C.], não escondendo os problemas que surgiram ao longo da história conjugal de Abraão e Sara; Isaque e Rebeca e Jacó e Raquel.

Três quartos do livro de Gênesis, (capítulos 12 - 50) ocupam-se em relatar estas lindas histórias românticas destes três casais que ficaram para sempre como exemplo para todos nós.

É preciso então que aja um equilíbrio entre o sonho apaixonado de Catares de Salomão e a realidade no dia-a-dia do livro de Gênesis, o encantamento, as dificuldades de relacionamento e as obrigações impostas pelo projeto de vida de cada casal.

“Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e o ciúme duro como a sepultura; as suas brasas são brasas de fogo, labaredas do Senhor.” [Ct 8: 6].

O ciúme é uma disposição ou atitude que não tolera a infidelidade. Nesse sentido Deus é zeloso, tem ciúmes e exige que os seus seguidores adorem somente a ele e, que Ele, Deus, seja o centro entre marido e mulher.

5. O CASAMENTO FOI CONSTITUÍDO PARA:
Que o homem não se sinta abandonado
[Gênesis 2: 18] E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.
Geração de filhos (Jr 29:6; I Tm 3: 2);
Para ser honrado (Hb 13:4; Ml 2: 14-15);
Para impedir a prostituição (I Co 7:2) e,
Para unir o homem e a mulher em um relacionamento sólido (Mt 19:6).
Só a morte pode por fim a esta inião (Rm 7:2-3; I Co 7: 39).
A união entre marido e mulher foi confirmada por Jesus (Mc 10:9).

A fidelidade do marido e da mulher no cumprimento de seus deveres é indispensável para se atingir os fins morais e éticos do matrimônio.

Os laços da família não podem ser dissolvidos por nenhum ato legitimado pela sociedade (Rm 7: 2,3).

6. O CASAMENTO EM SI ERA UM NEGÓCIO FAMILIAR
Não havia cerimônia civil, o casamento era apenas confirmado por uma espécie de juramento, (Provérbios 2: 17; Ez 16:8; Malaquias 2: 14).

O Reverendo J. R. Carvalho Braga, faz o seguinte comentário sobre a legalização do casamento; - “Depois do exílio estabeleceu-se o costume de lavrar um contrato selado”, citando em seu argumento o capítulo 7, verso 14 do livro de Tobias, na Bíblia Católica que diz: “Chamou então a mãe da moça e disse-lhe que trouxesse uma folha de papiro para escrever. E na folha escreveu o contrato de casamento, declarando que dava sua filha a Tobias como esposa, segundo a prescrição da lei de Moisés. E lhe pôs o selo”.

Se isto era realmente assim não sabemos com certeza. O que sabemos é que os serviços prestados por Moisés à causa do matrimônio consistiam em estabelecerem ideais sólidos, marcando os graus de consangüinidade e de afinidade dentro dos quais se permitia o casamento, segundo a lei (Lv 18: 6 -18; Dt 17: 17)
A pureza era exigida na vida matrimonial (Êx 20: 14,17).

7. POLIGAMIA (MAIS DE UMA MULHER) E SUAS CONSEQÜÊNCIAS.
Desde os tempos adâmicos já havia a poligamia. Lameque por exemplo tinha duas mulheres (Gn 4: 19).

o Abraão, por não entender o plano divino adotou a poligamia (Gn 16:4).
o Isso trouxe grandes problemas para ele e para sua esposa (Gn 16: 5,6);
o E para toda a nação de Israel até os dias de hoje (Gn 16: 11,12).

A poligamia causou males e ciúmes às mulheres de Eucana (I Sm 1: 1, 2, 6).

A poligamia é um contraste com a beleza do casamento entre um homem e uma mulher descritos em: (Sl 128:3; Pv 5: 18; 31: 10-29; Ec 9:9).

Adão, Noé, Cem, Cão e Jafé tinham só uma mulher.
O criador oficializou a monogamia e Jesus deu o veredito à permanência desta relação, fazendo com que os afetos entre o marido e a mulher cresçam na proporção dos anos de convivência. Os fins morais exigem que esta relação seja permanente (Mc 10:9).

CONCLUSÃO
Para que o casamento seja bem sucedido e abençoado, é preciso que o moço e a moça obedeçam aos preceitos bíblicos normativos que indicam o relacionamento amoroso e compreensivo desta união.

Desde que Eva foi criada, muita coisa tem mudado na vida das mulheres, mas as coisas mais importantes, aquelas que nos trazem felicidade e realização, permanecem inalteradas por fazerem parte da essência da mulher. Ainda hoje a esposa precisa que seu marido lhe dê três coisas que satisfarão às necessidades básicas do seu coração:

Segurança;
Liberdade;
E honra.

Estes gestos da parte do marido, derivam do conceito do amor ágape, doador e sacrificial com que o marido é ordenado a amar sua esposa, conforme Efésios 5: 25.

O amor manifesto pelo marido traz segurança à esposa. É o amor que toma iniciativa, e o homem foi especialmente capacitado por Deus para oferecer esta segurança, é ele quem procura; que corteja; que conquista. Isso faz parte de sua natureza, e a mulher se sente amada com estas iniciativas da parte do marido.

A mulher que é assim conquistada se sente mais segura e mais protegida.

O marido amoroso não apenas conquista o coração da mulher, mas também o alimenta por meio de atos carinhosos, como lhe dar a mão quando estão juntos, dirigindo a ela palavras de elogios, pois sabe que a mulher é atraída pelo que ouve.

Pequenos gestos que para o homem talvez nem façam muito sentido, como dar um presentinho: Flores; Perfume; comprar coisas que ela gosta para as refeições..., para ela isso faz a diferença!

O marido deve fazer com que ela perceba o respeito que ele tem pela pessoa feminina que ela é e por sua maneira diferente de pensar e de expressar;

Planejar uma viagem ou até mesmo programar algum momento especial só para os dois alimenta o prazer da esposa em tê-lo como marido.

E finalizando, existem alguns conselhos bíblicos aos solteiros antes de firmarem o compromisso da união conjugal cuja permanência deve ser para a vida toda.

1. Prudência (Sl 1:1). Prudência é a qualidade de quem age com moderação, buscando evitar tudo o que acredita ser fonte de erro ou de dano;
2. Cuidado com a ambição (Pv 1: 19; 23:6; 24:1);
3. Verificar as origens antes de dar início ao namoro (Pv 4: 14);
4. Cuidado com o lobo (I Co 5: 11);
5. A união com uma pessoa não crente dificilmente terá sucesso (II Co 6: 14);
6. A recomendação bíblica é nem se aproximar dos que não confessam as doutrinas de Cristo (II Jo 9,10);


 
Escrito por: Pastor Jônatas Martins Lopes
prjonatas@hotmail.com
http://portaldoerudito.webnode.pt
Http://crerparamudar.zip.net

O PAI E SEUS DEVERES CONSTITUÍDOS

EFÉSIOS 5: 22 33
TESTEMUNHO


O homem como cabeça da casa precisa ter um bom testemunho, firmeza, equilíbrio e um bom relacionamento com a família.

Deus estabeleceu a família como a unidade básica da sociedade.

Toda organização necessita de um dirigente, a família, o estado, o município, a escola e a sociedade em geral, para que as pessoas vivam em harmonia.

E assim Deus atribuiu ao homem a responsabilidade de ser cabeça da esposa e também dos filhos, como diz as Escrituras no verso 23 e no capítulo 6, verso 4 do texto em questão. “Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da Igreja: sendo Ele próprio o salvador do corpo”. (capitulo 6:4) “E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor”.

 
SUA LIDERANÇA DEVE SER EXERCIDA COM AMOR,
MANSIDÃO E CONSIDERAÇÂO PELA ESPOSA E FILHOS.

A) provisão para as necessidades espirituais e domésticas (v 23b) “sendo ele mesmo o provedor do corpo”.

(Gênesis 3:16) “E à mulher disse: multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor terás filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”. Na Bíblia Linguagem de Hoje, foi traduzido este versículo da seguinte forma: “Vou aumentar o seu sofrimento na gravidez, e com muita dor você dará à luz filhos. Apesar disso, você terá desejo de estar com o seu marido, e ele a dominará”.

(I Timóteo 5:8) “Porém, se alguém não cuida dos seus parentes, especialmente dos da sua própria família, essa pessoa negou a fé e é pior do que um incrédulo”.

B) O marido e pai têm o dever de dar amor, segurança e o bem-estar da família (Efésios 5: 25-33) “Maridos, amem as suas mulheres, assim como Cristo amou a Igreja e deu a sua vida por ela. Ele fez isso para dedicar a sua Igreja a Deus, lavando-a com água e purificando-a com a sua palavra. E fez isso para também poder apresentar a si mesmo a sua Igreja em toda beleza, perfeita, sem rugas ou qualquer defeito. O homem deve amar a sua mulher assim como ama o seu próprio corpo. O homem que ama a sua esposa ama a si mesmo. Porque ninguém nunca odiou o seu próprio corpo; ao contrario, alimenta-o e toma conta dele, como Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo. Como dizem as Escrituras Sagradas: É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se torna uma só pessoa. Há uma grande verdade revelada nessa parte da Escritura, e eu digo que ela se aplica a Cristo e à Igreja. Mas também se aplica a vocês: cada marido deve amar a sua esposa como a si mesmo, e cada esposa deve respeitar o seu marido”.

C) Honrar, compreender, e considerar a esposa (Colossenses 3: 19; I Pedro 3:7). “Maridos amem as suas mulheres e não sejam grosseiros com elas”. “Também vocês, maridos, na vida em comum com as suas esposas, reconheçam que elas são o sexo mais fraco e que por isso devem ser tratadas com respeito. Porque elas também vão receber a mesma vida que Deus dá a vocês. Façam isso para que nada atrapalhe as orações de vocês”.

D) Lealdade e fidelidade na vivência conjugal. (Mateus 5: 27) “Vocês sabem o que foi dito: Não cometa adultério. Mas eu lhes digo: Quem olhar para uma mulher e desejar possuí-la já adulterou no seu coração”. (Efésios 5: 31) “É por isso que o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa”. O verbo unir é infinitivo pessoal e significam unidos em corpo e alma. E serão uma só carne (Marcos 10:7; Mateus 19:5).

 
DEIXAR A LIDERANÇA QUE ANTES ERA DE SEU PAI,
PARA ASSUMÍ-LA PESSOALMENTE,
SURGINDO DAÍ UM NOVO LÍDER.

É nosso dever repassar à nossa família aquilo que aprendemos de bom com nossos pais.
Gênesis 18: 17-19) “E disse o Senhor: Não vou esconder de Abraão o que pretendo fazer. Os seus descendentes se tornarão uma nação grande e poderosa, e por meio dele todas as nações da terra serão abençoadas. Eu o escolhi para que ele mande que os seus filhos e os seus descendentes obedeçam aos meus ensinamentos e façam o que é correto e justo. Se eles obedecerem, farei por Abraão tudo o que prometi”.

(Deuteronômio 4:9) “Tãosomente guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que te no esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e se não apartem do teu coração todos os dias da tua vida: e as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos”:

(Deuteronômio 6:6-7) “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te”.

VIVER EM PROL DA FAMÍLIA

O patriarca Jó foi um grande exemplo de pai: Orava pelos filhos enquanto eles estavam nas festas.

O mundo moderno vive em dois extremos: Alguns pais espancam os filhos quando chegam tarde a casa, outros ignoram o que eles fazem.
Mas o nosso patriarca orava pelos seus filhos enquanto eles festejavam

(Jó 1:5) “Sucedeu, pois que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocausto segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente”.

Se assim fizermos, certamente teremos filhos que busquem a Deus e saibam se comportar como cidadãos.

(Salmos 78:5-7) “Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pôs uma lei em Israel, e ordenou aos nossos pais que as fizessem conhecer a seus filhos; para que a geração vindoura a soubesse; os filhos que nascessem se levantassem e a contassem a seus filhos; para que pusessem em Deus a sua esperança, e se não se esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos”.

CONCLUSÃO.

E por último cabe aos pais a tarefa de educá-los e respeitá-los conforme nos ensinam as escrituras.
(Provérbios 19: 18) “Corrija os seus filhos enquanto eles têm idade para aprender; mas não o mate de pancadas”.
(Provérbios 13: 24) “Quem não castiga o filho não o ama. Quem ama o filho castiga-o enquanto é tempo”.
(Provérbios 23: 13) “Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte”. (BLH).
(Provérbios 29: 15) “É bom corrigir e disciplinar a criança. Quando todas as suas vontades são feitas, ela acaba fazendo a sua mãe passar vergonha”. (BLH).
(Provérbios 19: 13) “Um filho sem juízo pode levar o pai à desgraça. Uma esposa que vive resmungando é como água que pinga sem parar”.
(Aos Colossenses 3: 21) Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo”.
Jônatas Martins Lopes - Pastor


A FAMÍLIA E O PROCESSO EDUCACIONAL DOS FILHOS

INTRODUÇÃO.


A ESCOLA BÍBLICA é o instrumento usado por Deus para que pessoas venham a aceitar Cristo como Senhor e Salvador, e depois cresçam na graça e no conhecimento de Deus.

A EDUCAÇÃO CRISTÃ é um processo contínuo que envolve a pessoa como um todo, e, não só a parte espiritual.

Lucas 2: 52 nos dá o exemplo perfeito de desenvolvimento do ser humano “E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens”. (Bíblia Tradução Revista e Atualizada)
Os pais devem se envolver na educação religiosa, moral, ética e emocional dos filhos fazendo com que eles cresçam no conhecimento de Deus estudando e compreendendo a Bíblia. A Educação Cristã envolve a mente, as emoções e o espírito das crianças.

COMO LER, APRENDER E ENSINAR A BÍBLIA.

Esta leitura deve ser preferencialmente metódica ou temática, ou seja, uma leitura planejada, que consiste em classificação dos assuntos e podem ser assim divididos:
1. A criação;
2. A Aliança que Deus fez com Adão, Noé, Abraão, e, ratificada em Izaque e Jacó;
3. Lei de Moisés;
4. Instituição e História de Israel;
5. Como Deus planejou salvar o homem;
6. Doutrina da santificação;
7. Forma de batismo;
8. Liderança no Antigo Testamento;
9. Liderança no Novo Testamento;
10. Vida com Deus;
11. Fé;
12. Graça;
13. Instituição da família;
14. Casamento;
15. Educação dos filhos;
16. Igreja;
17. Como se dará o arrebatamento;
18. Parábolas;
19. A vida de Jesus;
20. Genealogia.

O ensinamento bíblico transmitido pelos pais aos filhos - e pela Igreja colabora no desenvolvimento moral, na personalidade e no caráter da criança, fazendo com que elas aprendam a amar e se relacionar com as pessoas, com Deus e com a família.

O envolvimento da família no ensinamento bíblico tem sido fundamental desde a criação do mundo. Dês de o princípio, os pais foram responsabilizados à missão de ensinar as leis de Deus aos filhos; mais tarde vieram os sacerdotes que também contribuíram na transmissão dos ensinamentos de Deus ao seu povo. Em Neemias oito está registrada uma grande reunião onde se faziam presentes, homens, mulheres e crianças.

Hoje parece que a maioria dos pais acha que é da igreja e da Escola secular a responsabilidade de ensinar e educar as crianças e adolescentes. Mas, por maior que seja o esforço dos professores e dos pastores em transmitir conhecimentos a estas crianças o aprendizado acaba se tornando frágil pela ausência e omissão dos pais.

EXEMPLO DOS PATRIARCAS.

1. Os patriarcas tinham a incumbência de instruir seus filhos a respeito de Deus e de Sua Palavra.

2. Adão ensinou a Caim e a Abel a respeito do mandamento de Deus quanto aos sacrifícios e ofertas.

3. Noé foi exemplo de fé aos seus filhos diante de um mundo corrompido.

4. Abraão, Isaque e Jacó deram exemplo de fidelidade a seus filhos.

5. Nos tempos de Moisés foi enfatizada a responsabilidade dos pais em ensinar aos filhos o caminho do Senhor conforme registro em Deuteronômio 6: 6-7. “Estas palavras que hoje te ordeno, estejam em teu coração; e as ensinas a teus filhos, e fala delas sentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitares e ao levantares”. (VC Alfalit).

6. Outro exemplo bíblico que revela claramente a obrigação dos pais em ensinar seus filhos está registrado no Salmo 78, versos 1-8. (que você deve ler).

DEVER DOS PAIS.

1. Algumas dicas de exemplo de fé e de testemunho que os pais precisam demonstrar no cotidiano familiar
Ø Mostrar aos filhos que crê e ama a Deus;
Ø Mostrar amor à sua família;
Ø Guardar os mandamentos bíblicos;
Ø Ensinar à Bíblia a seus filhos e,
Ø Promover um ambiente saudável no lar, não bebendo, não fumando, não brigando, não pronunciando palavrões,
Ø Desligar a televisão para que a família tenha oportunidade de conversar.
Ø Lembre-se; seus filhos e sua esposa têm muito que perguntar a você e elas não pode ficar sem a devida resposta - é a construção da vida!

2. Os pais devem ensinar seus filhos para que:
  • Depositem sua fé em Deus;
  • Guardem os mandamentos de Deus e,
  • Sejam obedientes e educados.
3. Em Efésios 6: 4 o apóstolo Paulo nos orienta da seguinte forma: “Criai os vossos filhos na admoestação do Senhor”. Isso quer dizer que os pais têm que ensinar em casa a Palavra de Deus. Temos, por exemplo, Loide e Eunice que cumpriram fielmente este mandamento, instruindo Timóteo segundo os mandamentos de Deus (II Timóteo 1: 3-5 e II Timóteo 3: 14,15).

4. Deus planejou que o lar fosse à instituição de treinamento para ensinar as verdades bíblicas aos filhos. (Efésios 6:4) “Pais, não irrite seus filhos; antes os criem segundo a instrução e o conselho do Senhor”. (Bíblia Nova Versão Internacional).

O QUE OS PAIS PRECISAM ESTAR INFORMADOS.

1. Sobre os amigos de seus filhos.

Quem são eles,
Quem são seus pais,
O que fazem os pais dos amigos de nossos filhos,
Como é o relacionamento familiar dos pais dos amigos de nossos filhos,
O que, de construtivo para o meu filho ou minha filha pode vir desta amizade.

2. Os pais precisam tomar conhecimento do que seus filhos estão fazendo na rua ou na Escola e ou com seus colegas;

3. A participação dos pais no processo de aprendizagem provido pela Escola é fundamental para a formação moral e ética de seus filhos.

4. Participação na vida diária escolar, conferindo as matérias e as tarefas.
  • Pergunte a seu filho o que ele aprendeu hoje na Escola.
  • Na medida do possível ajude-o nas tarefas semanais;
  • Reúna a família pela manhã, ou à hora que for mais propícia para leitura da Bíblia e oração;
  • Ore pelo futuro de seus filhos. (Ore com ele e por ele);
  • Valorize a professora ou o professor perante seu filho.
  • Desligue a televisão! Converse com a família e de oportunidade para que a família exponha seus problemas, seus desejos e suas conquistas.
  • Não se esqueça de elogiar os pequenos serviços que as crianças normalmente gostam de fazer voluntariamente - Suas atitudes, suas idéias...
  • Nunca diga: Você não sabe nada, - deixa que e eu faço. Isso prejudica o desenvolvimento intelectual da criança e o seu futuro ficará comprometido.
ENVOLVENDO A IGREJA NA EDUCAÇÃO RELIGIOSA DOS FILHOS.

Esdras 8:1, 15-23; II Timóteo 3: 10-17.

1. Ensinar é desenvolver as faculdades mentais, físicas, intelectuais e morais na formação ou a modificação da conduta do indivíduo.

2. O ensino ministrado pela igreja deve contribuir para a formação do caráter, da personalidade, da ética, da moral, do intelecto e do futuro espiritual de nossos jovens.

3. A esperança para a sociedade, segundo o pensamento dos últimos governos é a educação.

4. O ensino que tem melhores possibilidades de aperfeiçoar o ser humano no seu aspecto legal, é indiscutivelmente o que tem sua base nas Escrituras Sagradas. No versículo 17 da segunda carta a Timóteo, capítulo 3, o Apóstolo Paulo fala que, a finalidade do ensino bíblico é que o homem seja perfeito e perfeitamente preparado para produzir boas obras.

NINGUÉM PODE SER SÁBIO POR SI SÓ.

1. A sabedoria é a qualidade que inclui bom senso, atitudes e ações corretas (Tiago 3: 17) “A sabedoria que vem do céu é antes de tudo pura; e é também pacífica, bondosa e amigável. Ela é cheia de misericórdia, produz uma colheita de boas ações, não trata os outros pela sua aparência e é livre de fingimento”. (Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje).

A palavra sabedoria, do grego chokmah inclui habilidade, tanto na guerra como em administração ou, a prudência em assuntos religiosos, envolvendo a própria ética na família ou na sociedade, e, vem do verbo SABER do grego nagad que significa expor, informar.

2. A sabedoria vem de Deus por meio dos ensinamentos de sua Palavra, não só pela leitura, mas, principalmente através do ensino ministrado pelos professores (Provérbios 1:7-9а) “Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus, o Senhor. Os tolos desprezam a sabedoria e não querem aprender. Meu filho escute o que o seu pai ensina e preste atenção no que sua mãe diz. Os ensinamentos deles vão aperfeiçoar o seu caráter.” (Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje).

3. A Igreja é o veículo que conduz a família como um todo a Deus e ao conhecimento de das Sagradas Escrituras. A palavra igreja vem do grego ekklesia, derivado de kaleo que pode significar chamar em alta voz, convidar, ou, chamar pelo nome.

CONCLUSÃO

a) IGREJA. Grupo de seguidores de Cristo que se reúnem em determinado lugar para adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros.
b) FAMÍLIA. A palavra família vem do grego mishpachah que significa tribo, povo, nação ou clã.
c) TRIBO. Vem da palavra grega shebet que significa bastão, ou cetro, (sinal de autoridade) (Salmo 127: 3-5) “Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que Ele dá. Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem que tem sua *aljava cheia deles!
“Não será humilhado quando enfrentar seus inimigos no tribunal” (Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje). (ler o Salmo 133).

*Aljava. Estojo com capacidade para cinco flechas.

d) POVO. Vem do grego, am, e refere-se a parentes, família.
e) NAÇÃO. Do grego goy, palavra usada para distinguir os descendentes de Abraão (Gênesis 12: 2,3; Êxodo 19:6) e,
f) CLÃ. Derivada da palavra grei que do grego é: chayah. O Dicionário Luft definiu a palavra clã como um aglomerado de famílias de descendência comum. Chayah significa viver prosperamente, ser vivo, ativo, (referindo-se ao homem) (Salmo 68: 10). (Tradução Brasileira). “Ali a tua grei fixou residência; da tua bondade, ó Deus, fizeste provisão para os aflitos”. (Na Bíblia Nova Versão Internacional, Grei ou Clã significa Povo e na Revista e Corrigida significa rebanho).
g) Família é diferente de lar. A palavra lar não aparece na Bíblia, enquanto que a palavra família existe registros em abundância. Família designa pessoas de uma mesma descendência ou linhagem do mesmo sangue, e compõe-se de: Pai, mãe e filhos. E por fim, a família é a mais antiga e a mais importante instituição do mundo. A família tem a mais alta posição de destaque no ceio da raça humana, ela é a célula mater, palavra latina que significa a célula mãe da sociedade, porém está em crise e, precisa da Igreja para sua sobrevivência.

Amem.

BIBLIOGRAFIA

Apostila: Envolvendo a família no processo Educacional
Dicionário Internacional de Teologia do NT
Bíblia Nova Versão Internacional
Pequena Enc. Bíblica
Bíblia On-line 3.00
Dicionário Luft,

Redação, digitação, formatação e montagem
Pr. Jônatas Martins Lopes
 prjonatas@hotmail.com
http://portaldoerudito.webnode.pt
http://crerparamudar.zip.net

AMOR REAL

Pastor Jônatas Martins Lopes

[I Aos Coríntios 13: 4-8, 13]
A palavra AMOR do original grego é dividida em 4 classes principais que são:

FHILEŌ

Fhileõ é a palavra mais generalizada para “amar”, e pode representar o amor fraternal, amor entre os pais e os filhos [Gênesis 37: 3]. A palavra, fraterno forma um conjunto que indica de forma geral a família, ou uma irmandade. Fileō é a fraternidade ou o amor entre irmãos de sangue e que vem diretamente refletir no meio em que vivemos como irmãos, a Igreja visível, ou seja, a Igreja resgatada por Jesus.
Alguns textos Bíblicos que nos ajudarão a entender [Gênesis 44: 28-31] “Um deles já me deixou; eu nunca mais o vi. Deve ter sido despedaçado por animais selvagens. E, se agora vocês me tirarem este também, e alguma desgraça acontecer com ele, vocês matarão de tristeza este velho. Agora, senhor – continuou Judá – se eu voltar para a casa sem o rapaz, logo que meu pai perceber isso, vai morrer na hora. A vida dele está ligada com a vida do rapaz, e nós seríamos culpados de matar de tristeza este velho”. [João 15: 12] “O meu mandamento é este: Amem uns aos outros, como eu amo vocês”. [I Pedro 1: 22] “Agora que vocês já se purificaram pela obediência à verdade e agora que já têm um amor sincero pelos irmãos na fé, amem uns aos outros com todo coração”. [Jó 1:5] “Quando terminava uma rodada de banquetes, Jó se levantava de madrugada e oferecia sacrifícios em favor de cada um dos seus filhos, para purificá-los. Jó sempre fazia isso porque pensava que um dos filhos poderia Ter pecado, ofendendo a Deus em pensamento”.

FHILOI

Fhiloi representa o “amor entre amigos”, manifesto por sentimento fiel de afeição, estima ou ternura entre pessoas que geralmente não são ligados por laços de família, ou por atração sexual. Ë um relacionamento de amizade profunda. [I Samuel 18:1] “Saul e Davi terminaram a sua conversa. Jônatas, filho de Saul, começou a sentir uma profunda amizade por Davi e veio a amá-lo como a si mesmo”. [I Samuel 18: 16] “Mas em Israel e em Judá todos amavam a Davi porque ele era um líder corajoso”.

O resultado desse amor sincero está registrado no capítulo vinte de I Samuel. “Jesus continuou: - o nosso amigo Lázaro está dormindo, mas eu vou acordá-lo”. [João 11: 11]

ERŌS

Eros representa o “amor paixão, que exprime desejos sensuais”, do grego deus do amor erótico. A paixão é uma disposição que pode levar o indivíduo a ultrapassar os limites da lógica, sobrepondo-se à lucidez e à razão. Ë um sentimento em alto grau que pode, em casos não raro, controlar o emocional da pessoa ficando este, vulnerável, levando-o até mesmo a matar a pessoa que diz amá-la. [Juizes 14:3] Mas o seu pai e a sua mãe responderam: - Porque é que você foi procurar mulher no meio dos filisteus, aquela gente que não pratica a circuncisão? Será que você não podia achar mulher no meio dos nossos parentes ou entre o nosso povo? Mas Sansão disse a seu pai: - É aquela moça que eu quero. É dela que eu gosto. [I Reis 11: 1,2] Salomão amou muitas mulheres estrangeiras. Além da filha do rei do Egito, ele se casou com mulheres hetéias e com mulheres dos países de Moabe, Amom, Edom e Sidom. Casou-se com elas, mesmo sabendo que o Deus Eterno havia ordenado aos israelitas que não se casassem com mulheres estrangeiras porque elas fariam que os corações deles se voltassem para outros deuses. Os textos de Segundo Samuel onze e Segundo Samuel treze, relatam episódios chocantes com o rei Davi e Bate-Seba, esposa de Urias, e Amnom filho de Jacó com sua meia-irmã, Tamar. Hoje são freqüentes os relatos de homicídios e suicídios entre casais - “por amor”?

ÁGAPE ou AGAPAŌ.

Seu maior emprego no Novo Testamento é para falar do relacionamento entre Deus e o homem. O substantivo agapē é sempre usado no sentido de he agapē tou theou, [o amor a Deus], ou no gênero subjetivo [amor de Deus para com os homens], ou objetivo “o amor dos homens por Deus”. Desta forma, agapē fica bem perto de conceitos tais como: pistis, fé, dikaiosynē, justiça e, charis, graça, todos os quais têm um ponto único de origem, em Deus somente.

O amor de Deus poupou Eva de um castigo maior, condenando em seu lugar a serpente [Gênesis 3: 9, 10, 13, 14];

Poupou Adão, amaldiçoando em seu lugar à terra [Gênesis 3:17];

Deus repreende aquele a quem ama [Provérbios 3: 12; Hebreus 12: 6; Apocalipse 3: 19].

Deus amou a todos [João 3: 16] e o homem precisa corresponder a esse amor:
· Com a obediência (João 14: 15,21).
· Com amor fraterno (João 15: 12; I Pedro 1: 22).

O amor do homem para com Deus traz-lhe benefícios (Romanos 8: 28);

Os segredos de Deus são revelados ao homem que o ama (I Coríntios 2: 9);

Deus nos amou primeiro e por isso temos que amá-lo também (I João 4: 19);

Amar a Deus é mandamento (Deuteronômio 6:5; Mateus 22: 37);

Amar ao próximo (Mateus 22: 39);

Amar nossos inimigos (Mateus 5:4 4) e,

Amar aos irmãos na fé (João 13: 34).

O amor ÁGAPE é amar sem interesse, sem troca de favores (I Coríntios 13: 4-8).

CONCRUSÃO.

“Para os crentes do Novo Testamento, a fé e o amor oriundos do coração também são essenciais ao nosso relacionamento pessoal com Deus. O amor a que se referem às Escrituras, em especial no texto de João capítulo vinte e um, versículo quinze, onde Jesus coloca em evidência a personalidade do Apóstolo Pedro: “amas-me mais do que estes”? Traduz duas palavras diferentes em grego. A primeira é agapaō, “amar desinteressadamente” e significa o amor inteligente e com propósito; sobretudo, da mente e da vontade. A Segunda é phileō, “ser amigo”, e envolve a afeição calorosa e natural das emoções e, portanto, um amor mais pessoal e afetivo. Com o emprego destas duas palavras, Jesus indica que o amor não deve ser somente da vontade, mas também do coração; amor este que brota tanto da determinação, quanto do afeto pessoal”. (livro Traços que fazem a Diferença, pág.79, Pastor Jônatas Martins Lopes).

Bibliografia
Dic. Int. de Teologia do N. Testamento
Bíblia Shedd
Fontes diversas.
E-mail: prjonatas@hotmail.com

CERIMÔNIA DE CASAMENTO

Os noivos em pé...

Pastor.

Estamos reunidos neste salão (nesta igreja), na presença de Deus, destas testemunhas e dos convidados para realizar o casamento (religioso) do casal J e E.

O casamento é um ato honroso estabelecido por Deus. A Bíblia nos diz que digno de honra entre todos é o casamento...

O casamento deve ser contraído com reverência e no temor de Deus, considerando-se os fins para os quais ele foi estabelecido.

O casamento foi ordenado por Deus para dar continuidade à vida, para geração de filhos, para o compartilhamento do amor e para felicidade do homem e da mulher.

A relação sexual dentro do matrimônio põe fim aos conflitos interno e externo tanto do homem como da mulher.

Oração pelo pastor...

Leitura Bíblica:

Gênesis Cap. 1: 27 e 28 e Gênesis Cap. 2: 18 a 24.

Tecer comentário...
a) Imagem de Deus
b) Macho e fêmea
c) Deus os abençoou
d) Frutificai e enchei a terra
e) Dominem sobre toda a criação
f) Não é bom que o homem viva só
g) Deus fez a mulher para ser companheira...
h) Adão reconheceu Eva como “osso do seu osso e carne da sua carne.
i) Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe e unir-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne.

Votos.

Noivo...

J, você promete, diante de Deus e destas testemunhas, receber a E, como sua legítima esposa para viver com ela, amá-la, honrá-la, protegê-la na enfermidade ou na saúde, na riqueza ou na pobreza, mantendo-se fiel a ela enquanto os dois viverem?

Noivo: Sim!

Noiva...

E, você promete, diante de Deus e destas testemunhas, receber o J como seu legítimo esposo para viver com ele, amá-lo, honrá-lo, protegê-lo na enfermidade ou na saúde, na riqueza ou na pobreza, mantendo-se fiel a ele enquanto os dois viverem?

A noiva deve confirmar: Sim!

Entrega das alianças...

O pastor receberá as alianças das mãos do noivo e dirá:

A Bíblia diz que quando Deus fez um pacto com Noé, colocou no céu um arco-íris como sinal do pacto, e disse: “E Eu o verei para me lembrar da aliança eterna”...
...Da mesma forma é bom termos um sinal que nos lembre a realização deste solene ato nupcial. Vocês escolheram estas alianças como sinal de seu matrimônio...
...A aliança é feita de metal precioso, e representa o vínculo que une um homem a uma mulher.

É uma circunferência sem fim, simbolizando a perpétua união de vocês.

Dirigindo-se ao noivo...

J tome esta aliança, coloque-a no dedo anular de sua noiva e repita comigo: Com esta aliança eu me caso com você, e lhe faço dona também dos meus bens terrenos, e por este ato declaro diante de Deus e das testemunhas que a recebo como minha esposa, e que serei fiel esposo.

Dirigindo-se a noiva o pastor dirá:

E tome esta aliança, coloque-a no dedo anular de seu noivo e repita comigo: Usando esta aliança como símbolo de nossa união, eu me caso com você, unindo o meu coração e a minha vida com tigo em todas as circunstâncias.

O pastor pede que o casal se ajoelhe e diz:
Como sinal de fidelidade às promessas que vocês fizeram um ao outro, segurem agora a mão um do outro.

O pastor coloca a mão direita sobre as mãos dos recém-casados e fará uma oração...

Em seguida...

Visto que o J e a E fizeram votos de amor e fidelidade um ao outro, diante de Deus, das testemunhas e dos convidados, eu, ministro Evangélico, os declaro marido e mulher, casados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amem.

BÊNÇÃO PASTORAL

ler...

...Que Deus os abençoe e os guarde, e que a sua misericórdia estendida sobre este novo lar lhes de harmonia e vitórias, e que a graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo permita que vocês vivam no temor do Deus Todo-Poderoso. Amem.

O casal pode receber os cumprimentos das testemunhas e dos convidados.






CASAMENTO


Cerimônia religiosa


Os noivos em pé...

Pastor.

Estamos reunidos (nesta igreja), na presença de Deus, e dos convidados para realizar o casamento (religioso) do casal T. R. e J. R, brasileira. (Ambos casados civilmente).

O casamento é um ato honroso estabelecido por Deus. A Bíblia nos diz que digno de honra entre todos é o casamento...

O casamento deve ser contraído com reverência e no temor de Deus, considerando-se os fins para os quais ele foi estabelecido.

O casamento foi ordenado por Deus para dar continuidade à vida, para geração de filhos, para o compartilhamento do amor e para felicidade do homem e da mulher.

O ato sexual dentro do matrimônio põe fim aos conflitos interno e externo tanto do homem como da mulher.

TEXTO: - Gn. 1: 27-28

a. Deus criou o homem e a mulher (comentário improvisado)
b. Deus abençoou o primeiro casal, fruto de sua criação; (comentário improvisado)
c. Deus falou com o casal sobre a multiplicação da raça humana; (comentário improvisado)
d. Deus desejou ao casal a bênção financeira; (comentário improvisado)
e. Deus deu ao casal o direito de dominar sobre toda a terra. (comentário improvisado)

Por tanto dentro do casamento há dois princípios básicos que precisam ser observados.

Efésios 5: 21-33

1. Amizade e paciência entre o casal – Efésios 4: 32 “Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo”. (comentário improvisado)
2. Harmonia entre o casal – Efésios 5: 21 “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus” (comentário improvisado)
Entrega das alianças...

O pastor receberá as alianças das mãos do noivo e dirá:

A Bíblia diz que quando Deus fez um pacto com Noé, colocou no céu um arco-íris como sinal do pacto, e disse: “E Eu o verei para me lembrar da aliança eterna”...
...Da mesma forma é bom termos um sinal que nos lembre a realização deste solene ato nupcial. Vocês escolheram estas alianças como sinal de seu matrimônio...
...A aliança é feita de metal precioso, e representa o vínculo que une um homem a uma mulher.

É uma circunferência sem fim, simbolizando a perpétua união de vocês.

Deus os abençoe.

Colocação das alianças

(ele coloca no dedo dela)

(Ela coloca no dedo dela)

ORAÇÃO FINAL
(Improvisada)

Podei-vos assentar.

Segue-se a mensagem pelo pegador








BODAS DE OURO

TEXTO: Efésios 5: 20-33

Nome do esposo:______________________________
Data de nasc. ___ / ___ / ___ idade_______________
Nome da esposa: _____________________________
Data de nasc. ___ / ___ / ___ idade ______________
Data do casamento: ______ / ___________ / _______
Quantos filhos. _________
Quantos netos __________
Quantos bisnetos ________

Pastor...

...Esta é uma data comemorativa

"transcendental", tempo que ultrapassou os limites da experiência e, que cumpre o mandamento bíblico de viver um para o outro até que a morte os separe.
- Certamente que não foi só flores.
- Dissabores, desentendimentos, discussões, tristezas, choro e até arrependimento podem ter batido no coração de ambos.
- Mas o amor, as orações e o compromisso com Deus os ajudaram a chegar até aqui.
- Temos registrado na Palavra de Deus um exemplo de casal que conseguiu sobreviver porque Deus esteve presente em todas as circunstâncias de sua existência.

1. Abraão e Sara {Gn 12: 10-13} “E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra. E aconteceu que, chegando ele para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Ora, bem sei que és mulher formosa à vista; e será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é a sua mulher. E matar-me-ão a mim e a ti te guardarão em vida. Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma por amor de ti”.
> Abraão tinha 75 anos quando Deus o chamou [Gn 12: 4].
> Abraão tinha 100 anos e Sara 90 anos quando lhes nascera Izaque [Gn 21: 5].
> Sara morre aos 127 anos de idade, e Abraão chora a sua morte [Gn 23: 1]
“E foi a vida de Sara cento e vinte e sete anos; estes foram os anos da vida de Sara. E morreu Sara em Quiriate-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã; e veio Abraão lamentar a Sara e chorar por ela".

2. Recomendações do Novo Testamento para uma vida feliz a dois;
[Ef 5: 20-22] “Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus. Vós, mulheres, sujeitai-vos a vosso marido, como ao Senhor”. [comentar]
[v 25] “Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela”. [comentar]
[vs 28-30] “Assim devem os maridos amar a sua própria mulher como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher ama-se a si mesmo. Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes, a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; porque somos membros do seu corpo”. [comentar]

[Ef. 5: 31-33] “Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. Assim também vós, cada um em particular ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido”. [comentar]

Renovação de compromissos.

Pastor

Há 50 anos N e G vêm consagrando o seu amor a Deus pelo sacramento do Matrimônio, e hoje estão aqui cercados de seus filhos, netos e bisnetos, parentes e amigos, frutos deste amor, para renovar os votos assumidos há 50 anos, vínculo desta união. Foi uma caminhada repleta de momentos significativos, mas sempre acompanhada pela proteção de Deus.

Ainda o pastor...

Neste ato, recordando o dia feliz em que estão renovando os votos de vida a dois com o vinculo indissolúvel do casamento, vamos renovar agora diante de Deus, dos parentes e amigos os votos assumidos no dia do casamento;



O casal repete com o pastor:

“Senhor Deus, na Tua presença, e na presença dos nossos convidados renovamos o nosso amor e prometemos ajudados por Ti, continuarmos edificando o nosso lar. Amem.”

Pastor

O Senhor Jesus Cristo esteja presente nas aflições e nos momentos alegres, e os conserve na abundância de suas bênçãos. Amem.
Entrega das alianças.

[A pessoa escolhida] entra com as alianças
O pastor abençoa as alianças [oração]...

...e faz este comentário:

Senhor, aqui estão as alianças do casal N e G. Elas são símbolos da perfeita união entre eles, durante 50 anos de vida conjugal. Pedimos a bênção divina sobre elas para que seja um sinal visível de amor em suas vidas. Amem.
O marido coloca a aliança no dedo da esposa dizendo:
G, receba novamente esta aliança em sinal do meu amor e da minha fidelidade para com você. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

A esposa coloca a aliança no dedo do marido dizendo:

N, receba novamente esta aliança em sinal do meu amor e da minha fidelidade para com você. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Encerramento.

Últimas palavras do pastor - oração - e as cordialidades dos convidados...

Pastor Jônatas Martins Lopes