terça-feira, 19 de maio de 2009

NAMORAR E FICAR

Pesquisas revelam que 1 bilhão e 300 milhões de adolescentes e jovens usam a expressão FICAR.
Esse número corresponde aproximadamente à população dessa faixa etária no Planeta.
O homem é um ser social.
O ser humano foi criado para viver em sociedade: primeiro, com o seu Criador, e, depois com o seu semelhante.

Na verdade, esse é o plano divino para nossas vidas. Foi o próprio Senhor Deus quem declarou: "Não é bom que o homem esteja só...” (Gn. 2: 18). Lemos, ainda, na Sua Palavra que "Melhor é serem dois do que um" (Ec. 4:9).

Portanto, a solidão se opõe ao plano divino, e, por isso resulta em feridas na alma, tais como:

1. Sentimento de desconforto;
2. Sentimento de inutilidade;
3. Auto - estima baixa;
4. Depressão;
5. Ausência de laços afetivos;
6. Desanimo;
7. Dores.

Para vencer a solidão, precisamos de:

1. Amizade;
2. Simpatia;
3. Empatia, [sentir o que o outro sete];
4. Companheirismo;
5. Namoro;
6. Casamento;
7. Sexo.

Sentimos necessidade de amizade verdadeira de alguém que chegue quando todos saem, isto é, alguém que permaneça ao nosso lado quando mais ninguém está. Mas, por outro lado, a solidão não pode levar a pessoa a aceitar qualquer tipo de relacionamento. Quantas vezes já ouvimos falar: "Ruim com ele (ela), pior sem ele ou sem (ela)".

O que é Namoro

Hoje, para a maioria das pessoas, o namoro é apenas um passatempo, nada sério. Entretanto, é impossível haver um relacionamento entre pessoas de sexo diferente, sem que haja consequências.

O namoro é um tipo de amizade verdadeira. T. J. Dakes escreveu em seu livro: A Dama, seu amado e Seu Senhor: “Quando escolher um companheiro procure um homem que tenha com você um relacionamento comparável ao de um irmão. Procure aquele com quem possa comunicar-se sem palavras. É ele que sabe quem você é”.
É claro que essa recomendação aplica-se também ao rapaz ao escolher sua companheira. O namorado, ou namorada encaixa-se perfeitamente na definição de amigo, de Jerry White "Um amigo é um confidente inteiramente confiável, a quem me sinto atraído, companheiro e aliado”.

O namoro é um caminhar de comprometimento entre duas pessoas.

Ficar

A palavra namoro está sendo extinta. Entre a maioria dos jovens e adolescentes o negocio é ficar.

Mas qual é a diferença entre namorar e ficar?

Já vimos que o namoro é um momento saudável e importante na vida dos jovens.

Ficar, segundo o que os jovens definem, é “passar um tempo com alguém, sem qualquer compromisso. Podendo incluir intimidades, tais como: beijos, abraços ou até relação sexual”.

Portanto, o ficar nada tem a ver com o namorar. Infelizmente, quando um rapaz fala sobre namoro, no sentido literal da palavra, torna-se, muitas vezes, alvo de piada e gozação entre os colegas. Isso é o resultado da distorção dos valores morais e éticos que vem sendo feita, principalmente pelos meios de comunicação.

Nossos jovens sofrem a influência da mídia que apregoa a sensualidade e a liberação dos impulsos sem censuras como forma de atuação de prazer e satisfação.

Comportamentos assim levam os jovens à promiscuidade sexual, e suas conseqüências.
Na década de 60 na Europa, e 70 no Brasil, começou uma revolução sexual enfatizando que homens e mulheres teem direitos iguais.

O que importa é a satisfação pessoal; a sensação do momento, sem a necessidade de qualquer atitude de amor ou sentimentos entre os parceiros. Com isso, o namoro foi sendo abandonado e o ficar tomando proporção.

Os jovens são pressionados a abandonar hábitos conservadores e a adotar as práticas pecaminosas ditadas pela cultura social moderna.

As desvantagens no ficar especialmente para a mulher são inúmeras e quase irreparáveis.

Entre elas, podemos mencionar os boatos que surgem, além do risco de uma gravidez indesejada, e muitas outras sequelas.

É importante que a mulher, se lembre de que não é um objeto descartável: usado e jogado fora após satisfazer os desejos sexuais do seu algoz.

Por isso, os jovens - homens e mulheres - principalmente os que querem levar a vida com Deus a sério, precisam observar, cuidadosamente, o que Ele diz em Sua Palavra, antes de envolver-se com alguém.

Com quem namorar

A primeira recomendação está na carta II aos Coríntios 6: 14: "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis. Pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?”.

O propósito principal do namoro não é apenas a satisfação dos prazeres carnais, mas a busca da pessoa que vai dividir com você, após o casamento:
- A sua casa;
- O seu guarda roupas;
- A sua cama;
- As suas alegrias;
- As suas tristezas;
- Os seus sentimentos;
- O seu dinheiro;
- O seu carro
- Seu prazer sexual;
- O seu sucesso;
- O seu fracasso;
- A sua mocidade, e,
- A sua velhice.

Por isso mesmo, é tão importante à razão por que não se deve namorar qualquer pessoa. Na minha opinião e na minha experiência é preciso haver cumplicidade desde os primeiros dias de namoro.

Alguém já disse que o(a) namorado(a) é um marido (esposa) em potencial. “A razão por que a Bíblia não recomenda o casamento com incrédulos é simples: Deus quer que a base do amor seja o fato de compartilharem a mesma fé”.

Por isso seria bom que marido e mulher tenham a mesma fé e a mesma filosofia de vida.
Se você é comprometido (a) seriamente com Deus, é conveniente escolher um (a) cristão (cristã) como você, porque ambos têm os mesmos valores éticos e morais.

Mas isso não é tudo. Se você encontrar uma pessoa com a mesma fé que a sua encontrou a pessoa certa? Não. Nem sempre é assim.

Além desse primeiro requisito, é preciso que seu cônjuge satisfaça sua mente seu corpo e sua alma. Os sonhos, ideais e expectativas se divergem de um individuo para outro e por isso dentro de um namoro serio precisam ser negociados.

Mesmo em meio a tanta gente interessante, você deve observar quais as características importantes que mais se destaca na pessoa que você pretende namorar.

Vou mencionar alguns pontos que podem ajudar nessa escolha. A pessoa que você escolheu para namorar, com a pretensão de um futuro casamento, deve:

- Agradá-la (o) fisicamente;
- Ser bondoso (a);
- Paciente;
- Educado (a);
- Amigo (a);
- Companheiro (a);
- Cúmplice
- Compreender seus defeitos;
- Ter bom senso;
- Demonstrar responsabilidade em tudo que faz;
- Saber lidar com dinheiro;
- Inteligente;
- Empreendedor.

Não deve ser:

- Pão duro (a);
- Mão aberta;
- Consumista.

Deve ser:

- Asseado (a);
- De boas maneiras.

Talvez você esteja pensando: mas é impossível encontrar alguém com todas estas qualidades! É verdade. Mas verifique o que considerar mais importante. Lembre-se de que é com essa pessoa que você pretende viver o resto de sua vida!

Transar.

Este tema tem sido muito debatido entre educadores e representantes da saúde.

Parece que agora, é muito careta quem não transa. Por isso, a pessoa que quer ser séria no seu relacionamento, acaba passando por situações desagradáveis. Acaba virando objeto de gozação, de ironias, de dúvida por parte dos colegas.
Além disso, as jovens ficam com medo de perder para a colega o gato lindo que encontrou e cedem às pressões feitas pelo sagaz enganador!

Na verdade, ele não está nem um pouco preocupado com você, com a sua reputação nem com as conseqüências que virão depois. Ele só quer transar! Por isso a resposta deveria ser não.
Muitos jovens acabam cedendo às pressões da mídia, dos colegas, dos amigos e começam a achar que se todo mundo faz então não deve ser pecado.

A Palavra de Deus condena o transar, pois afirma que a relação sexual é um privilégio do casamento.
Na ótica bíblica transar é a terceira etapa entre o namoro o noivado e o casamento, e não a primeira. Em Gn. 2: 24 lemos: “Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne”.

Desde Adão e Eva, Deus ordenou que houvesse uma formalização do compromisso matrimonial.

O primeiro passo é deixar pai e mãe, com a bênção destes que são autoridades sobre nós enquanto solteiros. Além destas autoridades, devemos obediência às leis de Deus.

O segundo passo é se unir à sua mulher. A referência é com a mulher que você vai se casar, e não com quem você está ficando.

E só no terceiro é que os dois se torna uma só carne. Só após as duas primeiras terem sido cumpridas, é que vem a hora da relação sexual.

Esta idéia existe tanto no Antigo como no Novo Testamento, pois este versículo é citado por Jesus em Mateus. 19:5 e por Paulo em I Coríntios. 6: 16.

Deus não estimula a transa. Muito pelo contrário. Várias passagens bíblicas condenam o relacionamento sexual fora do casamento conforme: [Atos. 15: 29; Atos 21: 25; I Coríntios 6: 13-18; II Coríntios 12: 21; I Tessalonicenses 4: 3- 5].

Em Hebreus 13: 4 Deus valoriza o casamento. Vejamos: “Digno de honra entre todos, seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros”.

Deus também aprova a relação sexual dentro do casamento. Para o povo judeu, a relação sem pecado era aquela em que as pessoas entravam virgens para o casamento [Deuteronômio 22: 13-21].

Quando somos amados pelo que somos, e não pelo nosso físico, tornamo-nos mais saudáveis mentalmente e nos expressamos mais livremente e não precisamos nos preocupar em como vamos agradar o nosso cônjuge.

Lembre-se do que diz a Bíblia em Eclesiastes 12:1 “Não deixe o entusiasmo da mocidade fazer com que você esqueça seu Criador. Honre a Deus enquanto você é jovem, antes que os dias maus cheguem, quando você não vai mais ter alegria de viver.”

Oração

Depois destas considerações, leve o assunto a Deus em oração.

Espere pelo Senhor (Salmo 27: 14). Ele sempre sabe o que é melhor para você. Nunca tome uma decisão, nunca inicie um envolvimento sem ter certeza de que Deus está abençoando esse relacionamento, de que é aprovado por seus pais e de que haja cumplicidade nesse amor.

O resultado do namoro é o casamento

A finalidade, e o objetivo do namoro é o casamento; mas o casamento não é o fim do namoro. Na verdade, o namoro deve continuar pelo resto da vida a dois. O namoro continua sendo muito importante dentro do casamento.

Quando o namoro acaba no casamento, aumentam as chances dessa união acabar.

Um conselheiro familiar criou a frase: Banco do Amor. Todos nós temos contas no Banco do Amor. São várias, uma para cada pessoa com quem nos relacionamos:

Do marido e esposa;
Dos pais e filhos;
Dos irmãos e irmãs.

As pessoas fazem depósitos ou retiradas, dependendo do tipo de relacionamento que possuam.

O bom relacionamento resulta em depósitos.
O mau relacionamento resulta em retiradas.

Infelizmente, há muitos casais em que o relacionamento se desgastou, e suas contas se encontram no vermelho.

O amor é como uma planta. Para que ela cresça bonita e saudável, precisa de água, sol, sombra, fertilizantes etc. Todo relacionamento humano precisa de constantes depósitos.

Quando foi a última vez que você depositou em sua conta do amor?

É interessante que, durante o período de namoro, muitas são as juras de amor eterno, os presentes, os programas, os perfumes, as gentilezas etc.

Entretanto, aqueles que consideram que o fim do namoro é o casamento, abandonam todas ou quase todas essas práticas e passam a agir totalmente contrária!

Essa é uma das razões pela qual o casamento acaba.

É preciso fazer depósitos constantes no Banco do Amor.

É preciso continuar:
- Perdoando;
- Amando;
- Protegendo e valorizando o cônjuge.

Muitos maridos, com o passar dos anos passam a agir e a tratar a esposa com indiferença, sem demonstrar o mínimo de interesse por ela. Isso a magoa e a machuca por dentro, pois ela percebe a frieza com que está sendo tratada.

Por outro lado, as mulheres também, muitas vezes, perdem todo o encanto, pois já não se arrumam como se arrumavam, já não usam aquele perfume que o namorado tanto gostava. Esquecem-se de que o seu corpo é "o templo do Espírito Santo" e deixam de cuidar dele, tornam-se relaxadas em tudo.

Tanto o marido quanto a mulher precisa estar atentos para que o namoro tenha sua continuação no casamento. "É preciso avaliar e pensar criativamente em como regar a planta. Em como receber e depositar no Banco do Amor.”

As esposas continuam gostando de ganhar um presente, de receber flores, de sair para jantar, de ouvir elogios sobre sua aparência exatamente como quando eram namoradas. O esposo, por sua vez, continua gostando de ver sua esposa namorada com os cabelos penteados, limpas, cheirosas, corpo atraente, e comer algo feito especialmente para ele, de ouvir palavras de amor. "Lembre-se de que a frase Eu amo você!” Dita com sinceridade e freqüentemente, afofa o terreno do relacionamento e predispõe o aprofundamento de raízes. Não deixe suas contas no vermelho... Você vai se sentir muito melhor tendo saldos positivos.

“No casamento, o homem e a mulher são parceiros, amantes, amigos. É um laço tão poderoso, tão especial que seu propósito é durar para sempre”.

Virgindade

A aliança é uma das coisas mais importantes no relacionamento entre duas pessoas do sexo oposto.

E quando falamos em aliança, não nos referimos ao anel que é colocado no dedo do moço e da moça na hora do casamento.

O anel é um símbolo desse pacto, mas a aliança é o compromisso de que vou amar essa pessoa pela vida inteira. Nada, além da morte, pode quebrar esse tratado. Ela não deve ser desfeita. E a sua origem está na aliança que Deus fez e continua mantendo com o seu povo. (Hebreus 13:5). Ela é inquebrável. Mas com os divórcios e separações, a aliança tornou-se vulnerável, tornando-se um mero contrato.

É nessa aliança, ou seja, na virgindade que está uma das coisas mais bonitas na unidade entre uma moça e um rapaz. Se você está por dentro das histórias da Bíblia, sempre que alguém fazia uma aliança com Deus, havia um derramamento de sangue, um animal era morto. Era o símbolo da aliança com Senhor.

Na aliança que Deus estabeleceu conosco no Novo Testamento, o sacrifício e o derramamento de sangue foram por Jesus, o que nos deu a certeza de que Deus nunca nos deixará, porque Ele deu seu único Filho para morrer por nós. Pensando nisso, você já imaginou o porquê da virgindade ser tão importante? Quando o rapaz e a moça se guardam sexualmente até a noite de núpcias e têm sua primeira relação sexual, eles estão selando a aliança entre si e com Deus e a aliança que fizeram um com o outro, não com sacrifício, mas com prazer, já que Jesus veio sacrificar-se em nosso lugar.
Por isso, quando a Palavra nos adverte a nos guardarmos sexualmente puros, ao contrário do que muita gente pensa, Deus não está querendo nos privar de algo que ele mesmo fez para nós, e sim, nos garantir o prazer de uma benção que servirá como nutriente ao casamento até que a morte o interrompa.

A virgindade deve ser considerada uma das coisas mais importantes em sua vida. Uma vez que você a perde, ela já mais será restituída. Se você perdê-la na hora errada, mesmo que depois receba o perdão de Deus, ainda assim ela não será trazida de volta. A virgindade é o nosso maior capital e deve ser guardada e protegida para ser rompida na hora certa.

Hoje, a coisa mais comum num namoro ou até mesmo em um encontro rápido é transar e, por isso, manter-se puro sexualmente é muito difícil. Mas ser homem ou mulher de verdade não depende desse momento momentâneo do prazer sexual, mas, está inteiramente ligado à nossa determinação de dizer não.

Uma palavra aos rapazes. Vocês sabiam que foram criados para serem os protetores e defensores da pureza? Mas infelizmente, muitos homens e rapazes são considerados violentadores. Muitos namorados forçam a namorada a perder a virgindade, e nem sempre com violência física, mas com violência moral. Essa não foi a função designada por Deus para o homem. Na criação, a função do homem é proteger a mulher. Paulo recomendou a Timóteo que tratasse as moças com toda pureza, como irmãs (I Timóteo 5:2). E é assim que devemos agir.

Não se deixe levar pelas mentiras sobre o amor e sexo, de que se você ama transa e se não transa, é fraco ou está pondo em dúvida sua masculinidade. Creia que dizer não aos seus desejos é uma forma de já demonstrar amor para seu futuro marido ou futura esposa, com quem você irá selar uma aliança estabelecida por Deus.

"O verdadeiro amor é paciente, é benigno, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses; o verdadeiro amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta" (I Coríntios 13:4-7).


(T. D. Jakes, em “A dama, seu amado e seu Senhor”. Sergio e Magali Leoto, em Transar ou não transar? Jaime Kemp, em Revista Débora. Nº. 09, Publicado na Revista Simplesmente Você, Julho/2001. Trabalho de OCR feito por Almir Lima). (Parte adaptado e reproduzido com autorização do MMI-Brasil).

Pastor Jônatas Martins Lopes.


Nenhum comentário: